Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Minimalismo Num Pedestal

Não é preciso ter muito, desde que se tenha as coisas certas.

Minimalismo Num Pedestal

Não é preciso ter muito, desde que se tenha as coisas certas.

15
Jan17

Zero Waste Dicas

Beatriz Goulart

Estou de volta da Madeira e decidi trazer-vos algumas dicas para que com pequenos passos se possam aproximar do estilo de vida minimalista que envolve a produção de menos lixo, conhecido como Zero Waste Movement.

 

  • Comprar roupa em 2ª mão, comprar roupa artesanal ou roupa ecológica. Isto pode envolver uma discussão sobre o facto de se estar a dar dinheiro a grandes empresas que vivem da roupa que as pessoas doam para a caridade, no entanto, existem lojas físicas que vendem roupa em 2ª mão e que na verdade a compram (Loja do Baú em Campo de Ourique). Por outro lado, o facto de se reutilizar roupa ao invés de passar por todo um novo processo de produção é bastante mais ecológico. O melhor será sempre comprar roupa artesanal. Em Portugal temos ainda bastantes lãs, pantufas e pijamas. É tudo uma questão de procurar;
  • Comprar sapatos de fabrico nacional: pode não parecer directamente relacionado, no entanto, o facto de estarmos a comprar algo que é produzido em Portugal não só ajuda a nossa economia, como não faz com que as peças tenham que viajar milhares de kilómetros, poluíndo mais;
  • Utilizar a agenda no telemóvel: eu particularmente não utilizo esta dica porque prefiro escrever tudo em papel e fazer a  agenda à minha medida, no entanto é mais ecológico não utilizar tanto papel;
  • Tirar notas de reuniões e apontamentos pelo computador: eu passei a utilizar este método porque na maioria das vezes acabava por ter que passar as coisas para o computador na mesma, o que me dava o dobro do trabalho. Assim poupo trabalho e papel;
  • Utilizar detergentes ecológicos e/ou a granel: a grande novidade aqui é que a Miosótis, em Lisboa, já vende detergentes a granel, permitindo reutilizar a embalagem o número de vezes que quisermos;
  • Embalar os alimentos em metal, tecido, vidro ou plástico forte que possa ser lavado e reutilizado ao invés de plástico e alumínio descartável;
  • Comprar embalagens maiores: ajuda a poupar a quantidade de plástico e na grande maioria das vezes sai mais barato;
  • Levar sacos e embalagens para o supermercado de modo a poder trazer os alimentos necessários como frutas e legumes sem ser em sacos de plástico que muitas vezes utilizamos apenas para isso e depois deitamos fora;
  • Não embrulhar prendas: independentemente de virem embrulhadas ou não, as prendas continuam a ser prendas, reutilizar papel anterior, utilizar papel de jornal ou revista ou não embrulhar de todo são boas alternativas;
  • Comprar local: normalmente o consumo de embalagens é muito menor, o consumo de combustível também e ajuda o comércio local e as famílias directamente ao invés de dar dinheiro às grandes mutlinacionais.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Sobre Isto

O minimalismo apresentou-se a mim não como uma moda a adoptar no momento, mas como um estilo de vida a adoptar sempre. Como Ecologista convicta, sou totalmente contra o estilo de vida de consumo desenfreado que vivemos nos dias de hoje em que interessa ter muito. Acredito que "o caminho se faz caminhando" e por isso não coloco quaisquer expectativas sobre o que o futuro trará, ao invés, acredito nas mudanças presentes e que devemos viver agora o que deve ser vivido agora. Ter muitas coisas ocupa muito espaço físico e mental, muita preocupação. Minimalizar tornou-se uma prática de relaxamento e em que ter pouco é ter muito mais.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D