Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Minimalismo Num Pedestal

Não é preciso ter muito, desde que se tenha as coisas certas.

Minimalismo Num Pedestal

Não é preciso ter muito, desde que se tenha as coisas certas.

07
Mar16

Mamíferos Oficialmente Banidos

Goulart Pinheiro

Não sei bem o que poderão ter pensado em relação ao título, mas eu referia-me a mamíferos banidos da minha alimentação.

 

 

 

Há uns anos atrás, deixei de comer carnes vermelhas, mais ou menos na mesma altura em que me tornei interessada nas questões ambientais. Fi-lo, não por ter argumentos válidos para o fazer, mas porque achei que tinha que o fazer.

 

Na verdade, nos dias que correm ainda não tenho argumentos que muitos possam consideradar válidos. No entanto, uma vez que não vou obrigar ninguém a deixar de comer o que quiser, parece que não precisarei desses argumentos.

 

Voltei a comer carne porque não queria "chatear" as pessoas quando me convidavam para comer, quando cozinhavam para mim ou semelhante. Nos dias que correm, já ninguém me convida. Na verdade, as opções já são mais que muitas e posso sempre andar com uma lata de atum atrás.

 

Maioritariamente decidi deixar de comer carne novamente por não sentir necessidade, vontade ou gosto em fazê-lo. Depois de muito pensar, cheguei à conclusão que não existe nenhum dos meus pratos preferidos que não possa ser feito com peixe ou com vegetais. Por isso, não vejo razões para não deixar os mamíferos em paz. Para além disso, segundo consta, é capaz de ser algo um pouco mais saudável.

 

Para já não irei deixar de comer as carnes de aves porque:

  1. Não quero desregular completamente a minha dieta alimentar;
  2. Não quero desregular completamente as pessoas à minha volta.

Assim sendo, por agora irei ficar-me sem carne de porco, coelho, vaca, cabra, antílope, girafa...

05
Mar16

As Minhas Malas

Goulart Pinheiro

Confesso que não tem sido fácil vir até aqui e blogar. Se eu fosse a Pipoca Mais Doce, isto seria a minha vida e eu poderia blogar todos os dias a toda a hora. Infelizmente, como trabalhadora-estudante, a coisa complica-se um pouco mais.

 

Ainda assim, como tive uma noite de folga, decidi fazer um post porque eu sei que já tinham saudades. E o que eu decidi fazer foi uma actualização das malas que tenho. Já tinha feito (mais ou menos) um post que mencionava as minhas malas, mas tendo em conta que fiz uma "revisão" às malas e acabei a ficar apenas com 5 decidi partilhar convosco o resultado final.

 

As Minhas Malas:

  • Como já sabem, a minha mala preferida e que espero sinceramente que seja de há 8 meses para sempre, é a Lacoste L1212 Concept em Preto. É um mala discreta e grande e é excelente para colocar para lá toda a tralha com que normalmente ando, que confesso, chega a ser alguma, embora não seja do meu agrado andar com tanta coisa atrás.

  • A minha segunda mala, foi a mala que a minha mãe me ofereceu no Natal em Cortiça. Basicamente é a minha mala de fim-de-semana. Não é muito grande, porque não preciso de andar com toda a tralha atrás, mas é grande o suficiente para caber as coisas que normalmente preciso. E podem vê-la aqui.
  • A minha terceira mala é uma mochila em pele, que esteve bastante na moda há uns anos. Confesso que a comprei nessa altura e, sim, porque estava na moda. Mas gosto imenso dela, e a moda já passou e eu continuo a utilizá-la. Basicamente utilizo a mochila no Verão por ser mais prática, para passeios em que não precise de levar muitas coisas. Tem a mesma funcionalidade que a de cortiça, mas faz menos dores de costas.

  • A minha quarta mala é uma bolsa, também de pele, a tiracolo. É uma bolsa bastante pequena e que serve maioritariamente para levar a carteira, o telemóvel, as chaves e etc. etc. durante o ano letivo ao invés de colocar as coisas na mochila. É bastante mais prática e já tem uns 3 ou 4 anos.
  • Por fim, a minha última mala: uma clutch amarela. Serve maioritariamente para eventos formais. Como tenho tornado o guarda-roupa mais neutro pensei que comprar uma clutch com cor poderia dar um ar mais "alegre" às minhas indumentárias formais. No entanto, por vezes também utilizo esta mala para saídas à noite, já que tem a possibilidade de colocar uma alça.

 

 

28
Fev16

Mini Missão 1

Goulart Pinheiro

Como já tinha avançado anteriormente, um dos objectivos para o blog este ano seria eu fazer algumas das mini-missões da Courtney Carver, autora do blog be more with less. Por isso, aqui está a primeira:

 

"Judge Less"

 

Depois de ter lido a missão, confesso que fiquei com algumas dúvidas em relação a ela. A verdade é que há uns anos eu costumava julgar, bastante até, as pessoas. Mas daquela maneira em que fingimos que nos pomos nos pés das outras pessoas e sabemos exactamente o que fazer naquela situação. A verdade é que não sabemos. Não sabemos até termos que passar por ela. Podemos achar que iremos reagir de uma determinada maneira, achar que "nos conhecemos muito bem". Mas não, ninguém se consegue pôr no lugar de outra pessoa, até ter que se pôr no lugar da outra pessoa.

 

A questão não é só a acção em sim, mas sim, toda a envolvente do momento. Podemos reagir de formas diferentes à mesma coisa consoante as pessoas que temos à nossa volta, o local, o clima, o ambiente, as condições sociais e económicas, as condições psicológicas. Uma acção não é uma acção em si só. Existe agregada a outros factores que influenciam a resposta.

 

Tudo isto para dizer que colocarmo-nos no lugar de outra pessoa não é suficiente para acharmos que faríamos x ou y em determinada situação.

 

E é importante ser mais tolerante e menos "julgador" em relação às outras pessoas. Podemos aprender muito com isso.

17
Fev16

Zero Waste Life

Goulart Pinheiro

O post de hoje é sobre Zero Waste Life (para quem não conseguiu ler o título). E o que é uma "Zero Waste Life"? Não vos vou colocar um link para outro post, nem para nenhum vídeo a explicar o conceito. Na verdade, é um conceito bastante fácil de explicar. Consiste em produzir absolutamente lixo nenhum. Como é que isso se atinge?

Bem... Aqui fica o vídeo:

 

Deixo este vídeo porque foi o primeiro que vi sobre o tema, e também, o mais interessante. O conceito parece interessante, mas não assim tão fácil de atingir. Pelo menos, não na nossa realidade.

 

Tendo feito já alguma pesquisa, descobri que existem bastantes locais em diversos países que permitem que as pessoas levem os seus próprios pacotes para as compras e os reutilizem. No entanto, em Portugal apenas conheço a Miósotis em Lisboa e não são todos os produtos que permitem fazer isso, tendo em conta que muitos deles vêm embalados de origem.

 

Por isso, por muito inspirador que seja, e até desafiante, tentar ter uma Zero Waste Life, parece ainda fora do alcance. Ainda assim, decidi que iria passar a fazer um esforço redobrado no que toca ao consumo de embalagens quando vou às compras. Algumas coisas básicas que já faço e que posso deixar aqui:

 

  • Levar os meus próprios sacos para os legumes, frutas, pão, etc;
  • Levar sacos para transportar as compras;
  • Deixar as embalagens excessivas no supermercado;
  • Preferir alimentos menos embalados.

Claro que o problema tem que ser combatido na origem. Tem que ser o próprio produtor, o responsável por embalar os seus produtos por forma a garantir as condições de segurança e higiene e não utilizar recursos em excesso.

15
Fev16

Os Meus Primeiros Saldos

Goulart Pinheiro

Confesso que o título é enganador. Na verdade estes são os meus primeiros saldos sem gastar dinheiro em saldos.

 

 

Admito que não foi dificil não gastar dinheiro. Na verdade, nem pensei muito nisso. Não havia nada que me fizesse falta e sinto-me já bastante minimalista para não ter a urgência de ir à busca do melhor desconto.

 

Acho que muitas vezes aquilo que chama mais à atenção, e como é óbvio, esse é o objectivo, é as pessoas sentirem que estão a fazer o melhor negócio da vida delas. Embora, claro, na maioria das vezes não estão. Estão apenas a comprar aquilo que acham que precisam e querem apenas porque a etiqueta mostra um preço mais baixo.

 

Aquilo que comprei nesta época de saldos foi uma secretária (em janeiro) e uma cadeira de escritório (em fevereiro). E fiz, isso sim, porque necessitava e não porque estavam em saldos, até porque não estavam!

12
Fev16

Dublin

Goulart Pinheiro

Bem, em primeiro lugar pedir desculpa por ter estado ausente tantos dias. Em segundo lugar justificar-me: fui dar um saltinho a Dublin.

 

Já tinha a viagem planeada há algum tempo e devo confessar que adorei, ainda que tenha apanhado mau tempo. Digamos que é um pouco como Londres, chove todos os dias. Aparentemente também não tive muita sorte com o tempo, ainda assim diverti-me e deixo aqui algumas fotos da viagem!

 

IMG_20160206_150015.jpg

IMG_20160207_105057.jpg

IMG_20160207_163034.jpg

 

IMG_20160208_164830.jpg

IMG_20160209_175152.jpg

 

 

 

 

05
Fev16

Porque lavo a roupa à mão

Goulart Pinheiro

Acredito que depois de terem lido o título do post pensaram para vocês "mas ela lava a roupa à mão?". Bem, não me achem maluca, mas a verdade é que sim, eu lavo a roupa à mão.

 

A explicação é muito simples: tendo em conta que a roupa que eu tenho perfaz uma máquina de roupa, teria que utilizar toda a minha roupa para a poder lavar. O que por um lado, seria difícil e por outro, teria que misturar lãs com roupa escura, com gangas com roupa clara e era certo que iria dar asneira.

 

Para além disso, por semana normalmente só tenho roupa interior, pijama e umas duas ou três camisolas para lavar. Seria um enorme desperdício de água se eu lavasse umas pecinhas de roupa só.

 

Claro que não achem que sou COMPLETAMENTE maluca. Não lavo lençóis, nem mantas, nem toalhas, nem qualquer roupa de casa à mão; também não lavo a roupa de desporto nem as sweats à mão, embora confesso que tenha tentado, mas demoraram cerca de 2 dias a secar na corda.

 

Assim sendo, lavo a roupa da cápsula à mão (incluíndo as calças de ganga) e é da maneira que também consigo ver se as peças ficam muito sujas ou não com a quantidade de uso que lhes dou antes de as pôr para lavar.

01
Fev16

WishList Update

Goulart Pinheiro

O post de hoje é simples. Decidi fazer um update da minha lista de desejos. Tal como já tinha mencionado anteriormente, esta é uma lista que vou mantendo e actualizando de 2 em 2 semanas (aprox.). Ajuda-me a ter a certeza de que realmente preciso do artigo em questão ou que realmente o quero.

 

 

 

Aqui fica a nova:

 

  • Blusa/Camisa Branca de Alças - ainda em avaliação porque depende das cápsulas de primavera e de verão;
  • T-Shirt Preta - a mesma situação que a anterior;
  • Fato-de-banho;
  • Tatuagem;
  • Câmara Fotográfica;
  • Cadeira de Escritório;
  • Liquidificadora;
  • Pincel Maquilhagem;
  • Sandálias;
  • Estante para Livros;
  • Camisa Branca Fato - a que tenho neste momento, já é cinzenta;
  • Banco/Escadote;
  • Espelho de mesa;
  • Ténis Desporto;
  • Capa para o Telemóvel;
  • Almofada;
  • Lâmpadas LED;
  • Abajour;
  • Gira-Discos
30
Jan16

Dia 30 #30diasdesafiominimalismo + Fim do Desafio

Goulart Pinheiro

O desafio de hoje e último, consiste em avaliar as últimas 5 compras feitas. Não tenho a certeza se é suposto avaliar as últimas 5 vezes em que gastei dinheiro, ou as últimas 5 vezes em que gastei dinheiro em algo substancial. No entanto, tenho quase a certeza que ninguém quer ler a minha avaliação sobre o último café que bebi. Assim sendo, irei avaliarr as últimas 5 coisas mais substanciais nas quais gastei dinheiro.

 

  • 5ª - Uma consulta no dermatologista: Não há muito para avaliar. O meu acne estava a tornar-se cada vez pior e sem passar. Por mais produtos que tentasse ou "receitas caseiras", nada resolvia o problema. Estava na altura de consultar um especialista.
  • 4ª - Um caderno na FNAC: É um caderno pequeno que utilizo para fazer de "journal" anual. Basicamente, onde escrevo todos os acontecimentos importantes do ano sob o meu ponto de vista. Gosto do caderno e é fabricado em Portugal, no entanto, achei que foi um pouco caro para a quantidade de folhas que traz.
  • 3ª - Dossiers: Como já tinha mencionado num post anterior, que podem ler aqui, já tinha pensado em reorganizar as minhas pastas de documentos de modo a uniformizar o espaço. Assim sendo, comprei uns dossiers para passar para lá os documentos, ao invés de os ter em pastas de diferentes formas e tamanhos.
  • 2ª - Tinta de Spray no AKI: Foi uma compra pequena, mas basicamente comprei-a para ao invés de comprar molduras novas, decidi pintar as antigas, bem como o meu espelho. Uma forma de, de novo, uniformizar o espaço e poupar dinheiro.
  • 1ª - Secretária no IKEA: mudei a minha secretária e a razão pela qual o fiz foi porque a outra se estava a desfazer e eu precisava de mais espaço para trabalhar. A outra não era grande o suficiente para conseguir ter o computador, as coisas da escola e a impressora, tudo a funcionar ao mesmo tempo. Agora já o tenho e confesso que é uma grande ajuda poder espalhar tudo em cima da mesa e trabalhar como deve ser.

Chegou ao fim o desafio. Alguns dos desafios que estavam contemplados na lista foram interessantes e se calhar, até desafiantes. No entanto, a maioria não achei assim tão desafiante. Acho que é bom para dar algumas impressões sobre como viver uma vida mais simples para quem ainda não o faz, mas para quem já o faz, não traz muito de novo.

 

A partir de agora, voltarei a fazer posts "normais", no entanto, poderei não os fazer diariamente, como já tinha mencionado anteriormente.

29
Jan16

Dia 29 #30diasdesafiominimalismo

Goulart Pinheiro

O desafio de hoje consiste em desligar todas as notificações. Não é um desafio complicado para quem esteve 24h sem qualquer conexão à Internet. A parte boa de desligar as notificações, é que só vejo o que quero quando quero e não quando o telemóvel faz "plim". Na maioria das vezes tenho as notificações desligadas porque se torna chato ter o telemóvel constantemente a apitar. Assim sendo, só chamadas e mensagens é que têm direito a perturbar-me.

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Sobre Isto

O minimalismo apresentou-se a mim não como uma moda a adoptar no momento, mas como um estilo de vida a adoptar sempre. Como Ecologista convicta, sou totalmente contra o estilo de vida de consumo desenfreado que vivemos nos dias de hoje em que interessa ter muito. Acredito que "o caminho se faz caminhando" e por isso não coloco quaisquer expectativas sobre o que o futuro trará, ao invés, acredito nas mudanças presentes e que devemos viver agora o que deve ser vivido agora. Ter muitas coisas ocupa muito espaço físico e mental, muita preocupação. Minimalizar tornou-se uma prática de relaxamento e em que ter pouco é ter muito mais.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D