Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Minimalismo Num Pedestal

Não é preciso ter muito, desde que se tenha as coisas certas.

Minimalismo Num Pedestal

Não é preciso ter muito, desde que se tenha as coisas certas.

13
Jul18

Dinheiro Minimalista

Goulart Pinheiro

Na verdade este post não é apenas para quem seja minimalista, mas sim para todos aqueles que queiram organizar as suas finanças.

Quando nos tornamos "adultos" e temos responsabilidades financeiras, precisamos de controlar o dinheiro que gastamos. Excepto se tivermos muito e, nesse caso, não temos que nos preocupar com isso, ou podemos pagar alguém para se preocupar por nós.

 

No entanto, a maioria dos comuns mortais não tem essa possibilidade e cai nas suas mãos a responsabilidade sobre o seu próprio dinheiro. Depois de sair de casa e começar a viver com o meu namorado foi necessário criar uma conta conjunta para despesas conjuntas. Fora isso, ainda tenho a minha conta "normal" para as minhas despesas pessoais. Quando ficámos noivos decidimos igualmente abrir uma conta poupança para juntar dinheiro para o casamento.

 

Sim, há pessoas que têm milhentas contas, mas se quiserem saber, eu já acho três um exagero e uma dor de cabeça. E para tal, é preciso saber gerir tudo muito bem, até porque o dinheiro é apertado. 

 

Procurei muitas aplicações que pudessem ajudar a gerir as contas de forma eficiente, mas a verdade é que a maioria é pouco prática, envolve muitos passos ou demasiadas questões para justificar ter gasto 0,6€ num café, o que acaba por se tornar desmotivador ao longo do tempo.

 

Assim, venho mostrar quais as melhores opções que encontrei e que se aplicam a mim em particular. Poderão experimentar estas opções, mas a verdade é que todas as pessoas são diferentes e, por isso, lá porque se aplica a mim, não quer dizer que se aplique a vós, mas aqui vamos nós.

 

No que toca à conta poupança, não há muito para gerir, na verdade, cada um de nós retira 35€ do seu salário todos os meses e coloca na conta poupança. Tem um juro muito baixo (como quase todas neste momento) e vinga ao fim de 181 dias.

 

No que toca às despesas da casa, fizemos uma página de excel e dividimos por categorias (compras para a casa, contas - eletricidade, gás, etc. - compras de supermercado e afins), sempre que gastamos dinheiro, guardamos os recibos e depois adicionamos ao excel e desta maneira sabemos onde gastámos o nosso dinheiro, quando e quanto.

 

No que toca a contas pessoais, eu utilizo a aplicação Monefy:

 

 

A aplicação é muito rápida de utilizar e com isso, muito prática. Permite colocar as categorias e existe tanto para recebimentos como para pagamentos. À medida que se vão fazendo gastos, estes vão sendo adicionados no painel da direita que se vê e aparece o balanço no painel da esquerda para que saíbamos qual a percentagem do nosso dinheiro que está a ser gasta e em quê. No centro da roda aparece o dinheiro recebido e o dinheiro gasto e no quadrado a verde o dinheiro que temos.

 

Carregado em cada uma das categorias aparece especificamente em que é que foi gasto se quando adicionamos a despesa colocarmos na nota essa espicificidade.

 

A aplicação não permite criar orçamentos, mas permite ver o gastos por dia, por semana, por mês, por ano e todos desde que temos a aplicação. 

 

Embora algumas vezes me esqueça de introduzir dados, a verdade é que me permite ver onde mais gasto o meu dinheiro para que possa controlar esses gastos e reduzi-los, poupando mais dinheiro.

22
Mar16

Como Poupar Dinheiro #2

Goulart Pinheiro

Bem malta, graças a um novo desafio (sim, eu sei que estou sempre a meter-me em coisas), decidi escrever este post com algumas dicas de como poupar dinheiro no que se pode, para se gastar no que se quer.

 

Já há uns tempos fiz um post semelhante aqui. No entanto, acho que poderia não estar muito directo, ou não ter dicas concretas e normalmente, quando ando à procura deste género de coisas, gosto de encontrar listas de coisas mais directas.

 

 

Assim sendo, aqui está:

 

  1. Tentar viver com 20€ por semana: Claro que este valor pode variar consoante as receitas de cada pessoa, e os gastos que têm. No meu caso, tendo em conta que eu não tenho praticamente contas para pagar, tendo em conta que não tenho grandes encargos, decidi que (e este é o desafio) vou tentar viver com 20€ por semana. Ainda assim, vou fazer um esforço por poupar dinheiro e no final de cada semana, se sobrar dinheiro, guardo-o bem guardadinho no meu mealheiro das férias.
  2. Fazer todas as refeições em casa. Isto é completamente impossível, por isso mesmo é que, normalmente, eu cozinho todas as refeições em casa e levo-as comigo. O mesmo com os snacks que vou comendo ao longo do dia, o chá ou o café, que também levo sempre comigo.
  3. Não comprar por impulso. Embora esta possa ser um pouco mais complicado, o truque aqui é organizar, organizar, organizar. E ser consciente quando fazemos compras. No que toca ao supermercado, a ideia é planear todas as refeições, incluíndo os snacks e os "apetece-me qualquer coisa doce". No que toca a tudo o resto, a ideia é perguntar se precisam mesmo, se querem mesmo, ou se gostam mesmo. Já falámos sobre isto inúmeras vezes.
  4. Ter uma Wish List com limites. No meu caso, o meu limite é: no máximo 2 coisas por mês ou 100€. Ou seja, não gasto mais do que 100€ por mês a comprar coisas que tenha na wish list. Se o artigo que quero custar mais do que este valor, então são 2 meses sem gastar dinheiro em mais nada, apenas nessse artigo. Ou 2 coisas. Se tiver na minha lista vários artigos que todos juntos custam menos de 100€ a ideia é seleccionar apenas 2. Isto faz com que eu limite a vontade de gastar dinheiro e possa acumular para outras coisas como: VIAGENS!
  5. Manter uma lista de gastos e receitas. Isto permite que consigamos saber exactamente quanto dinheiro temos, quanto gastamos e onde, e ter uma maior consciência dos nossos gastos. Dá trabalho, mas compensa.
  6. Esquecer a moda. A moda é cíclica? Talvez, mas está sempre a mudar. Por isso, o truque é: esqueçam o que está na moda. Vistam o que vos fica bem e vos deixa confortável. Assim, não estão constantemente a comprar roupa ou acessórios apenas porque estão na moda.
  7. Façam investimentos. Não me refiro a investimentos comerciais ou financeiros, mas talvez contem como tal. Vou dar o exemplo mais prático que tenho. Eu costumava comprar malas a cada 2/3 meses. Isto porque as malas eram de má qualidade e a cada 2/3 meses as alças desfaziam-se, ficavam feias e com aspecto muito usado. Gastava por cada mala, uma média de 30€. Decidi investir numa mala melhor, a Lacoste L1212 Concept. Por 90€. A mala existe há 8 meses e está em perfeitas condições. E o investimento, já o recuperei. Comprar coisas de qualidade é importante. Porque duram muito mais e produzem muito menos desperdício, incluíndo financeiro!
  8. Façam desporto, na rua. Os ginásios low cost, são um must nos dias que correm, mas estão sempre cheios de pessoas, em salas fechadas, a suar e com o ar condicionado ligado. Parece a cultura perfeita para a proliferação de germes. E quem é que quer fazer desporto fechado dentro de uma sala? Existem imensos grupos de pessoas que correm diariamente, ou regularmente. Basta procurar na Internet ou arranjar um grupo de amigos. O mesmo para outras actividades desportivas. Façam-nas ao ar livre. A vossa saúde e a vossa carteira agradecem.

Por fim, este é o ponto essencial: perguntar o porquê de estar a guardar dinheiro. No meu caso, porque quero poder fazer viagens, muitas. Por isso, poupo onde posso para poder gastar no que quero!

16
Dez15

A luz

Goulart Pinheiro

Nunca me tinha debruçado sobre este assunto até no outro dia ter faltado a luz e eu ter subido até ao 7º andar com a lanterna do telemóvel.

 

Não é pouco comum para mim subir as escadas, em especial porque os elevadores estão sempre avariados, mas é pouco comum para mim subi-las às escuras.

 

Quando cheguei a casa e me sentei à mesa a jantar (às escuras, mas com a lanterna ligada) dei por mim a pensar o quão dependentes da electricidade somos. Tudo funciona com electricidade. O que acontecerá às civilizações ocidentais se deixarmos de ter luz?

 

Sabemos que a Humanidade não se extinguirá - ainda há muitos povos e tribos que não conhecem a electricidade - mas com certeza levaria um grande retrocesso. Se pensarmos bem, tudo em nossa casa (praticamente) funciona com electricidade. O frigorífico, o fogão, os computadores, os telemóveis, a bomba que leva a água ao 7º andar...

 

No entanto, e embora já existam fontes "limpas" que permitem a obtenção de energia sem grandes impactos para o Ambiente, a verdade é que a grande maioria da energia que consumimos ainda provém de fontes poluentes como os combustíveis fósseis.

 

Por isso, há que fazer uma gestão eficiente e adoptar medidas que promovam a sustentabilidade do planeta. Deixo aqui algumas dicas (daquelas que aprendemos na escola):

  • Desliguem todas as luzes nos quartos quando não estão a utilizá-los;
  • Desliguem electrodomésticos e aparelhos eléctricos quando não estão a ser utilizados;
  • Não deixem a televisão em StandBy e desliguem-na mesmo;
  • Desliguem durante a noite os aparelhos de Wi-fi, Rooters, etc;
  • Coloquem os telemóveis em "Modo Voo" durante a noite (ajuda a poupar bateria);
  • Deixem tudo desligado quando não estão em casa;
  • Utilizem as escadas ao invés dos elevadores (se morarem até ao 7º andar, depois disso é capaz de ser chato);
  • Troquem as lâmpadas fluorescentes e afins por LEDs.

Estas são algumas das medidas que podem adoptar, o Ambiente agradece e tenho a certeza que a factura da luz será mais reduzida.

28
Nov15

Como e Onde Poupar

Goulart Pinheiro

Em primeiro lugar quero dizer que não publico nada há alguns dias porque tenho estado muito ocupada ao ponto de nem o computador ligar, quanto mais postar no blog.

 

Hoje trago algumas dicas de como poupar algum dinheiro. São apenas algumas das coisas que me lembrei e que faço. No entanto, se se lembrarem de outras, por favor coloquem nos comentários.

 

  1. A primeira que posso mencionar e que faço mais regularmente é com certeza planear as refeições. No início de cada semana penso nas refeições para a semana inteira (se as tomo fora, se as tomo em casa, etc.) e com base nisso, faço a lista das compras. Ajuda a poupar na medida em que não se compram coisas que depois 'logo se vê' o que fazer com elas e muitas vezes se ficam a estragar na dispensa ou no frigorífico, indo parar ao lixo;
  2. Com base na anterior, antes de planear as refeições vejo o que já tenho em casa e o que posso usar para as refeições, evitando, assim, desperdícios;
  3. Outro 'truque' é comprar os produtos com embalagens grandes. Eu acredito que os investimentos são maioritariamente boas soluções económicas. Muitas vezes requer um custo mais elevado no início, mas que a médio e longo prazo compensa muito mais. As embalagens maiores podem parecer mais caras, mas a verdade é que na maioria das vezes compensam porque duram muito mais tempo do que duas mais pequenas, poupando-se dinheiro e recursos (duas embalagens produzem mais resíduos do que uma grande);
  4. Na sequência da anterior, fazer a comparação de produtos por litros, ou por gramas ajuda. Por exemplo, comprar uma embalagem que contenha 100mL de creme por 5€ pode ser vantajoso em comparação com uma embalagem que custe 8€. Mas se essa embalagem contiver 200mL estamos a comprar por 40€/L enquanto que na primeira opção gastamos 50€/L - comparar o que é comparável!;
  5. No entanto, e como no meu caso, em que somos duas pessoas cá em casa e fazemos a maioria das refeições separadas, comprar embalagens indivíduais, ou de menores dimensões em produtos perecíveis, lacticínios e etc. é a melhor solução para evitar desperdícios;
  6. Outro dos truques que utilizo para não efectuar gastos desnecessários é a criação de uma want/need list. Penso que já falei disto aqui no blog. Basicamente consiste em: sempre que achamos que precisamos de alguma coisa adicioná-la a lista e não comprar logo. Passado uma semana, duas ou até mesmo três, voltar à lista e pensar se sempre precisamos ou se ainda queremos a "coisa" em questão. Muitas vezes o que acontece é que acabamos por verificar que afinal não gostamos assim tanto, ou que vivemos bem sem ela, e acabamos a não comprar por impulso;
  7. Outro dos truques que posso dar, é irem ao comércio local. Muitas vezes sai mais barato e à medida que vão ficando conhecidos pelos donos das lojas, serão melhor atendidos e ter direito a pequenos descontos, lembranças, e um serviço personalizado. Caso não queiram, o meu conselho é que frequentem sempre o mesmo supermercado, isto porque evita que andem a passear nos corredores à procura das coisas, e acabem a comprar por "ah, isto é giro, vou só experimentar" e "ah, eu acho que posso precisar disto".

Estes são alguns dos meus truques. No entanto, há muito mais sítios onde podem procurar dicas de como poupar!

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Sobre Isto

O minimalismo apresentou-se a mim não como uma moda a adoptar no momento, mas como um estilo de vida a adoptar sempre. Como Ecologista convicta, sou totalmente contra o estilo de vida de consumo desenfreado que vivemos nos dias de hoje em que interessa ter muito. Acredito que "o caminho se faz caminhando" e por isso não coloco quaisquer expectativas sobre o que o futuro trará, ao invés, acredito nas mudanças presentes e que devemos viver agora o que deve ser vivido agora. Ter muitas coisas ocupa muito espaço físico e mental, muita preocupação. Minimalizar tornou-se uma prática de relaxamento e em que ter pouco é ter muito mais.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D