Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Minimalismo Num Pedestal

Não é preciso ter muito, desde que se tenha as coisas certas.

Minimalismo Num Pedestal

Não é preciso ter muito, desde que se tenha as coisas certas.

31
Jan19

A Cosmética é Frustrante...

Goulart Pinheiro

Eu estou frustrada, ando frustrada, acho que todo o mundo me frustra.

 

Quantidades de informação contraditória. Uns dizem assim, outros dizem assado. Uns mencionam estudos que não se encontram em lado nenhum, outros mencionam estudos que não dizem nada disso. E os estudos demonstram sempre coisas diferentes.

 

Para mim a ideia da cosmética, e nisto incluo cremes, maquilhagem e toda essa panóplia de produtos, tem que ser o mas ecológica possível, mas ao mesmo tempo não fazer mal à saúde. É aí que começam a entrar as frustrações. Vamos do início.

 

Eu sempre comprei os meus produtos de cosmética no supermercado. Evidentemente porque eram mais baratos. Até que comecei a estudar mais sobre alguns assuntos relacionados com a cosmética e decidi que iria procurar produtos mais sustentáveis.

 

Assim o fiz e encontrei muitos desses produtos no Celeiro. Mas depois vim a descobrir que esses produtos eram testados em animais. E como mulher da ciência e do progresso, acredito que há coisas que têm que ser testadas em animais, sobretudo na área da saúde, mas não para algo "fútil" como a cosmética. Não se trata de uma questão de saúde, mas sim de uma questão de concepção de beleza da nossa sociedade e aí não concordo com os testes em animais.

 

Então comecei a utilizar produtos da "The Body Shop" por afirmarem que não são testados em animais e de facto terem a certificação da PETA e da Leaping Bunny. Mas depois descobri que têm parabenos e SLS, e que tais produtos eram potencialmente cancerígenos e destruidores do nosso planeta. E foi aí que comecei a ficar realmente frustrada.

 

Decidi parar para pensar e investigar um pouco mais e dei por mim a descobrir que nada serve os meus propósitos:

  • Os produtos de farmácia (Vichys, Biodermas, Uriages) são eficazes nos meus problemas de acne, mas são testados em animais, as embalagens são de plástico, contém imensos químicos e são caros;
  • Os produtos do supermercado (Garnier, L'Oreal) são mais ou menos eficazes e são relativamente baratos (por comparação), mas são testados em animais, as embalagens são de plástico e contém imensos químicos.
  • A maioria dos produtos do Celeiro são testados em animais, não contém imensos químicos, mas não são eficazes, as embalagens são de plástico e não são assim tão baratos.
  • Os produtos da "The Body Shop" são relativamente eficazes, não são testados em animais, têm um preço médio, mas contém químicos e as embalagens são de plástico.
  • Os produtos da LUSH não são testados em animais, podem ser comprados em regime "granel" diminuindo a produção de plástico e não têm químicos, mas são bastante caros e pouco eficazes.

 

E eu corri todas as opções que tinha, pesando prós e contras e contínuo sem uma solução para o meu acne que seja ao mesmo tempo sustentável para o ambiente.

 

Alguém quer ser bondoso e dar-me opções?

 

 

28
Jan19

Reformei a minha casa e ainda não acabei.

Goulart Pinheiro

Desde que nos mudámos para o nosso novo espaço que tínhamos um plano para a decoração da  casa. No entanto, não nadamos em dinheiro, como a maioria do comum mortal e por isso, fomos adiando esses projectos.

No entanto, no último mês acabámos a decidir que estava na altura de pôr mãos à obra e assim o fizemos.

O primeiro passo foi remover toda a tralha de casa. E como é que isto foi feito? Por passos claro...

  1. Primeiro foi para o lixo tudo o que era lixo, no sentido literal, ou que estava estragado ou verdadeiramente danificado;
  2. Colocámos na cave tudo aquilo que tínhamos em casa que nunca utilizámos nos dois anos em que moramos lá, concluindo-se assim que não tinham qualquer propósito útil nas nossas vidas;
  3. Todas as coisas que ficaram ganharam um lugar fixo (uma casa, na gíria) para que sempre que sejam retiradas para ser utilizadas, possam ser colocadas novamente no seu lugar.

Depois disto, tornou-se muito mais fácil limpar e arrumar. Durante o último mês fizemos isto em todas as divisões da casa, divisão por divisão e claro, como o minimalismo é um caminho de vida, tenho a sensação que ainda não terminámos.

Fora isto, que já deu uma grande ajuda na limpeza, arrumação e organização, ainda comprámos três móveis novos.

  1. Substituímos a estante que tínhamos no escritório porque estava estragada (tinha um buraco gigante no fundo), era pouco prática e pouco bonita.
  2. Substituímos a secretária que eu tenho no quarto porque a outra já não estava nas suas melhores condições.
  3. Comprámos (finalmente) uma sapateira, para que os sapatos estejam sempre arrumados no sítio e não encham o quarto de desarrumação.

Ainda temos algumas mudanças a fazer e alguns sítios onde é preciso ir mais longe na organização e na arrumação e no "declutter", mas por agora sinto-me bastante satisfeita e adoro passar o meu tempo no quarto e no escritório porque são, neste momento, as divisões que eu tenho mais felizes na minha casa!

29
Jan17

Alternativas "Minimal Waste"

Goulart Pinheiro

Embora o movimento se chame "Zero Waste", eu penso que é um nome falso, porque a verdade é que mesmo comprando a granel, os ingredientes e produtos têm que chegar às lojas embalados de alguma forma.

 

Assim, sugiro aqui algumas pequenas alterações que já introduzi por forma a produzir menos lixo e a consumir menos matérias primas.

 

1. Escovas de dentes em que apenas se mudam as cabeças.

Não é fácil de encontrar, no entanto, no celeiro, vendem-se escovas em que é possível apenas trocar a cabeça. A escova em si custa 2,29€ e cada recarga aproximadamente 0,85€ (vêm 4 recargas de cada vez por 3,29€). A meu ver é bastante mais barato do que as escovas "normais" e o cabo nunca vai para o lixo. Para além disso, as escovas são feitas com cerdas naturais, o que permite a sua compostagem, diminuindo o lixo produzido.

 

2. Pasta de Dentes sem Embalagens Extra.

Na maioria das marcas a embalagem de pasta de dentes é composta por uma embalagem de plástico onde vem a pasta, e uma embalagem de cartão por fora. Se pensarmos bem, a embalagem de cartão é completamente desnecessária e apenas serve para produzir mais lixo.

Embora tenha tentado fazer pasta de dentes em casa, a verdade é que o sabor era horrível. Achei que era uma questão de hábito, mas uma semana a utilizá-la serviu para provar que não me conseguia habituar. Para quem achar que poderá ser uma boa alternativa, poderei colocar um post sobre a receita que utilizei, caso contrário, na Miosótis em Lisboa, vendem-se pastas de dentes que vêm apenas embaladas numa camada de plástico. As pastas são 100% biológicas e trazem muito menos químicos, uma vez que não trazem químicos sintéticos, apenas químicos sintetizados a partir de produtos naturais. A pasta de dentes custa 2,99€, o que é mais barata do que muitas marcas mais comerciais.

 

Por agora são estas as alterações que já fiz. No entanto, pondero fazer ainda bastantes mais e manter-vos-ei a par das mesmas para que possam experimentar e ver se se aplicam ao vosso dia-a-dia, e ao Orçamento Familiar, o que é sempre importante a ter em conta.

20
Jan17

Como Organizar o Estudo

Goulart Pinheiro

Uma vez que estamos em fase de exames na maioria das escolas de ensino superior, decidi partilhar aqui a forma como eu planeio e organizo o meu estudo por forma a garantir que tenho tudo estudado até ao exame.

Uma vez que sou trabalhadora-estudante, torna-se mais complicado ter tempo para estudar, uma vez que mesmo não tendo aulas, continuou a ter que trabalhar e tal implica menos horas por dia para estudar.

Assim sendo, a primeira coisa que eu faço é um calendário com os dias em que eu sei que poderei estudar e atendendo às horas que tenho nesses dias para estudar, coloco os tópicos no calendário, ou os exercícios que planeio fazer nesses dia, assim:

20170120_131310.jpg

 



Também no calendário incluo o dia do teste e realço a "caixa" desse dia para ter uma visualização concreto do dia em questão.

Após isto, a forma como planeio o estudo no próprio dia torna-se mais fácil. Começo por pegar no calendário e ver o que tenho marcado. Neste caso em concreto tinha exercícios marcados para fazer.

Assim, pego nos exercícios que tenho para fazer e divido-os. Por cada exercício que faço tenho direito a 5 minutos de pausa, mas em vez de fazer um exercício e fazer uma pausa, agrupo-os e torno as pausas mais longas:

20170120_131333.jpg

 

Por exemplo faço 3 exercícios e depois coloco uma pausa de 15 minutos. Nesta pausa tenho direito a ler, a tricotar, a comer ou a arrumar qualquer coisa. Telemóveis e redes sociais são proibidos durante o período de estudo, uma vez que são uma distracção demasiado grande. Caso não necessite do computador para estudar, também este fica desligado e longe da secretária de forma a resistir a tentações.

Por fim, após o estudo estar completo faço uma revisão dos conceitos onde tive dúvidas e aponto num post-it junto do exercício de forma clara e acertiva quais as minhas dúvidas. Desta maneira, quando for reunir com o professor para tirar dúvidas, é mais fácil retirar as dúvidas concretas que tenho sobre os exercícios ou sobre a matéria.

20170120_131341.jpg

 

15
Jan17

Zero Waste Dicas

Goulart Pinheiro

Estou de volta da Madeira e decidi trazer-vos algumas dicas para que com pequenos passos se possam aproximar do estilo de vida minimalista que envolve a produção de menos lixo, conhecido como Zero Waste Movement.

 

  • Comprar roupa em 2ª mão, comprar roupa artesanal ou roupa ecológica. Isto pode envolver uma discussão sobre o facto de se estar a dar dinheiro a grandes empresas que vivem da roupa que as pessoas doam para a caridade, no entanto, existem lojas físicas que vendem roupa em 2ª mão e que na verdade a compram (Loja do Baú em Campo de Ourique). Por outro lado, o facto de se reutilizar roupa ao invés de passar por todo um novo processo de produção é bastante mais ecológico. O melhor será sempre comprar roupa artesanal. Em Portugal temos ainda bastantes lãs, pantufas e pijamas. É tudo uma questão de procurar;
  • Comprar sapatos de fabrico nacional: pode não parecer directamente relacionado, no entanto, o facto de estarmos a comprar algo que é produzido em Portugal não só ajuda a nossa economia, como não faz com que as peças tenham que viajar milhares de kilómetros, poluíndo mais;
  • Utilizar a agenda no telemóvel: eu particularmente não utilizo esta dica porque prefiro escrever tudo em papel e fazer a  agenda à minha medida, no entanto é mais ecológico não utilizar tanto papel;
  • Tirar notas de reuniões e apontamentos pelo computador: eu passei a utilizar este método porque na maioria das vezes acabava por ter que passar as coisas para o computador na mesma, o que me dava o dobro do trabalho. Assim poupo trabalho e papel;
  • Utilizar detergentes ecológicos e/ou a granel: a grande novidade aqui é que a Miosótis, em Lisboa, já vende detergentes a granel, permitindo reutilizar a embalagem o número de vezes que quisermos;
  • Embalar os alimentos em metal, tecido, vidro ou plástico forte que possa ser lavado e reutilizado ao invés de plástico e alumínio descartável;
  • Comprar embalagens maiores: ajuda a poupar a quantidade de plástico e na grande maioria das vezes sai mais barato;
  • Levar sacos e embalagens para o supermercado de modo a poder trazer os alimentos necessários como frutas e legumes sem ser em sacos de plástico que muitas vezes utilizamos apenas para isso e depois deitamos fora;
  • Não embrulhar prendas: independentemente de virem embrulhadas ou não, as prendas continuam a ser prendas, reutilizar papel anterior, utilizar papel de jornal ou revista ou não embrulhar de todo são boas alternativas;
  • Comprar local: normalmente o consumo de embalagens é muito menor, o consumo de combustível também e ajuda o comércio local e as famílias directamente ao invés de dar dinheiro às grandes mutlinacionais.
10
Jan17

Viajar com Menos Lixo

Goulart Pinheiro

Inspirado no estilo de vida "Zero Waste" que significa, sem lixo, mas que no fundo e, pelo menos para mim, significa a produção de menos lixo e a utilização de embalagens que são possíveis de reciclar, decidi escrever este post.

 

Amanhã sigo em trabalho para a Madeira e como tal, decidi deixar aqui uma lista de coisas com que viajo que posso apenas levar no porão do avião e que farão com que produza menos lixo:

  1. Mala de Viagem - a minha mala foi comprada na Paco Martinez há 1 ano atrás, é feita de plástico e tecido e o plástico não pode ser reciclado, no entanto, eu tentarei tirar o máximo uso que conseguir da mala.
  2. Roupa - normalmente levo apenas o essencial e muitas vezes até reduzo, utilizando a mesma camisola por dois dias e usando o mesmo par de calças de ganga os dias todos.
  3. Calçado - na verdade, não costumo levar calçado extra. Tento sempre levar um par de sapatos confortáveis e que se adaptem a todas as actividades que terei. Muitas vezes adiciono apenas chinelos, ou no Inverno um par de meias anti-derrapantes e quentinhas.
  4. Coisas de Casa de Banho - de forma a não ir pesada a bagagem, não levo comigo muitas coisas, apenas o básico, escova de dentes, pasta, gel de banho, shampoo e creme hidratante. Costumava embalar estes produtos de embalagens maiores em embalagens mais pequenas de plástico, mas à medida que as embalagens se foram estragando acabei por trocá-las por embalagens de vidro que compro no depósito da Marinha Grande perto da Assembleia da República.

E na verdade, é só isto que levo. Se precisar de trabalhar levo ainda o meu computador portátil, a minha agenda e o meu telemóvel. Deixarei aqui algumas dicas que na verdade começarei a implementar a partir de agora:

  • Não faço check-in em balcão. Faço pela Internet. Desta maneira não há produção de etiquetas para o porão, nem a emissão de bilhetes em papel, poupando recursos;
  • Levo sempre a minha garrafa de água, vazia, que encho posteriormente nas casas-de-banho do aeroporto, depois de passar a segurança.
  • Normalmente odeio a comida de avião, e desperdiça demasiados recursos, por isso, passarei a embalar a minha própria comida e a colocá-la na mochila.
  • Transporto igualmente o meu próprio guardanapo de pano. Infelizmente, por razões de segurança não posso levar talheres comigo sem ser de plástico, por isso, tento optar por comida que não necessite de talheres, como sandes, fruta ou frutos secos.
  • Tenho ainda a minha própria almofada insuflável que encho quando entro no avião e torna a viagem mais agradável. Pela primeira vez tentarei igualmente levar comigo uma manta porque graças ao ar condicionado, as minhas pernas congelam.
  • Finalmente levo comigo o meu saco de compras ou a minha mochila de compras para o caso de querer trazer comigo alguma lembrança, não ter que trazer um saco de plástico para a mesma.

E é isso!

 

 

02
Jan17

Os 10 esseniais!

Goulart Pinheiro

O post de hoje é sobre aqueles que eu considero serem os 10 produtos essenciais de higiene/beleza que utilizo regularmente. Embora não saiba bem, ainda, qual a marca ou se os poderei fazer em casa (poderei escrever sobre isso noutro post) sei quais são e é isso que vos trago hoje. Assim sendo, aqui ficam:

  1. Champô - utilizo dia sim, dia não
  2. Condicionador/Máscara - utilizo uma vez por semana
  3. Óleo Reparador Cabelo - utilizo sempre que lavo o cabelo
  4. Exfoliante Facial Diário - utilizo uma vez por dia, normalmente à noite
  5. Creme Diário - utilizo todos os dias de manhã
  6. Creme Tratamento Acne - utilizo todos os dias à noite
  7. Creme do Corpo - utilizo todos os dias depois banho
  8. Desodorizante - convém
  9. Sabão - idem
  10. Desmaquilhante - porque utilizo eyeliner

E são estes. Posteriormente poderei publicar quais as marcas que consumo, mas o importante é que criem vocês mesmos as vossas listas e tentem reduzir ao mínimo indispensável a quantidade de produtos que utilizam. Será melhor para o planeta e para a vossa carteira!

24
Abr16

Viver Num Micro-Apartamento

Goulart Pinheiro

Não, eu não vivo num micro-apartamento, mas quase.

 

O facto de ainda ter muita tralha no meu quarto, tem-me feito pesquisar bastante sobre formas de organização e arrumação para quartos. E enquanto andava à procura de vídeos no youtube para organização em espaços pequenos, dei de caras com vídeos de como organizar apartamentos com 12 metros quadrados. O quê? O meu quarto tem 10 metros quadrados, acho eu.

 

Ou seja, isto fez-me corar de vergonha. Aqui ando eu, a apregoar o minimalismo, enquanto tento livrar-me de coisas num quarto com 10 metros quadrados e há pessoas a viver em apartamentos com cozinha, casa de banho e quarto/sala num espaço de 12 metros quadrados. Tipo isto:

 

 

Enfim, foi então que eu percebi, que ainda não tinha, bem atingido o nível que gostava de atingir: modo de sobrevivência.

Estou a brincar, há coisas que considero um exagero e embora acredite, que uma pessoa consiga ter um nível de vida aceitável morando num apartamento destes, acredito que, por vezes também se possa tornar um pouco "opressivo", ainda que seja bastante mais fácil de limpar.

 

Fundamental a reter: ver vídeos de pessoas que mostram como vivem em apartamentos deste género, é na verdade inspirador e dá bastantes ideias não só para minimalizar, como para organizar coisas. E leva-nos a pensar sobre quais as coisas que são realmente fundamentais na nossa vida e quais não são. Bem como, quais as que queremos manter e quais não queremos.

 

Assim, deixo-vos aqui em baixo alguns vídeos para se inspirarem:

 

 

 

 

25
Mar16

Minimalisticamente Saudável

Goulart Pinheiro

Bem, decidi escrever sobre este tema, uma vez que estou viciada em vídeos de alimentação no YouTube, mais exactamente "What I Eat In a Day" (O Que Eu Como Durante Um Dia).

No entanto, o propósito, é eu dar algumas dicas sobre como ser mais saudável. Não sou nutricionista, no entanto, são algumas coisas que tenho vindo a fazer e a incluir na rotina e que descobri que fazem alguma diferença.

 

  1.  Beber 20L de água por dia. Estou a brincar, não são precisos tantos, mas beber bastante água durante o dia.Eu tenho uma aplicação no telemóvel (e há várias) que com base no peso, e na quantidade de exercício físico praticado diariamente, ela estima a quantidade de água que devemos beber durante o dia, e vai dando alertas para o fazermos. A verdade é que apenas faço isto há duas semanas, mas já sinto uma diferença gigante, em especial na pele.

  2. Nunca saltar o pequeno-almoço. Para ser sincera, não sei como é que há pessoas que fazem isto. Eu acordo sempre com uma fome, que daria para comer um boi. Pelo menos um cozido à portuguesa. Enfim, é importante, não só porque estivemos muitas horas em jejum, como é importante para iniciar o metabolismo e ganhar energias.
  3. Fazer refeições saudáveis. Por vezes é dificil, porque somos pessoas muito "ocupadas", mas a alimentação é talvez o mais importante para combater problemas de saúde. Assim, é preciso ingerir alimentos variados e saudáveis (sopas do McDonalds não contam como saudável). Embora dê mais trabalho, é mais saudável e sabe sempre melhor quando somos nós a comprar os ingredientes frescos e a cozinhá-los.
  4. Manter-se activo. No meu caso, eu tenho ido correr todos os dias de manhã. Claro que isto pode não ser o ideal para toda a gente. Mas ir a pé para o trabalho, transportes públicos ou de bicicleta, é uma boa forma de nos exercitarmos um pouco mais. Não só a saúde agradece, como o Ambiente!
  5. Plug off. A Internet, os Smartphones e afins são sem dúvida um grande avanço tecnológico, mas tudo tem que ter o seu peso e medida. Alguma vez viram o filme "Click" com o Adam Sandler? Pois bem, somos nós. Passamos o dia no telefone para "queimar tempo" para "custar menos a passar" e acabamos a desperdiçar todo o nosso tempo com a cabeça metida dentro desses pequenos aparelhos. Se estão aborrecidos, leiam um livro, peguem no cão e vão dar uma volta, durmam a sesta, telefonem para a prima e digam "vamos sair".

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Sobre Isto

O minimalismo apresentou-se a mim não como uma moda a adoptar no momento, mas como um estilo de vida a adoptar sempre. Como Ecologista convicta, sou totalmente contra o estilo de vida de consumo desenfreado que vivemos nos dias de hoje em que interessa ter muito. Acredito que "o caminho se faz caminhando" e por isso não coloco quaisquer expectativas sobre o que o futuro trará, ao invés, acredito nas mudanças presentes e que devemos viver agora o que deve ser vivido agora. Ter muitas coisas ocupa muito espaço físico e mental, muita preocupação. Minimalizar tornou-se uma prática de relaxamento e em que ter pouco é ter muito mais.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D