Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Minimalismo Num Pedestal

Não é preciso ter muito, desde que se tenha as coisas certas.

Minimalismo Num Pedestal

Não é preciso ter muito, desde que se tenha as coisas certas.

10
Mar19

Rotina de Limpeza da Casa

Goulart Pinheiro

Este era um post que já fazia falta. Demorou, mas finalmente conseguimos ter uma rotina consistente e eficaz de limpeza e arrumação da casa, de modo a que possamos aproveitar melhor o nosso tempo, ainda, assim, tendo a casa sempre (aqui deve ler-se maioritariamente) limpa e arrumada.

 

Vamos dividir isto em diversas secções também para que o texto fique mais estruturado e de fácil leitura.

 

Diariamente:

  • Lavar Loiça;
  • Fazer a Cama;
  • Arrumar a Sala;
  • Limpar a Caixa de Areia dos Gatos (isto acontece duas vezes por dia).

 

Semanalmente:

  • Lavar, Aspirar e Lavar o Chão da Casa de Banho;
  • Limpar o Fogão e o Micro-Ondas;
  • Lavar as Bancadas da Cozinha;
  • Aspirar e Lavar o Chão da Cozinha;
  • Mudar os Atoalhados da Casa de Banho;
  • Mudar a Areia dos Gatos;
  • Levar o Lixo para a Rua (temos tido a capacidade de produzir lixo para que só tenhamos que fazer isto uma vez por semana);
  • Lavar Roupa;
  • Passar a Ferro.

 

De duas em duas semanas:

  • Fazer a Cama de Lavado;
  • Lavar a Caixa de Areia dos Gatos;
  • Lavar as Paredes da Banheira;

 

Mensalmente:

  • Aspirar a Casa toda;
  • Lavar o Chão da Casa toda;
  • Limpar o pó da Casa toda.

 

De três em três meses:

  • Mudar as escovas de dentes;
  • Lavar as janelas de casa;
  • Aspirar por trás do frigorífico, do fogão e da máquina de lavar roupa.

 

De seis em seis meses:

  • Limpar arrastando móveis, eletrodomésticos, decorações, animais, enfim, um fim-de-semana divertido. 

 

Basicamente é assim que temos dividido as coisa para garantir que temos a casa quase sempre limpa e arrumada.

18
Dez18

Limpeza da Máquina de Café

Goulart Pinheiro

Lá em casa utilizamos duas máquinas de café.

Uma da Nespresso (passo a publicidade) que nos foi oferecida, mas que, no entanto, não é particularmente ecológica considerando a quantidade de plástico utilizado por cada cápsula de café e a outra é estilo italiana, que faz um excelente café e que é bastante mais ecológica considerando que utiliza café de saco.

Esta última é igualmente bastante mais fácil de limpar, uma vez que é toda desmontável e permite lavar e limpar todos os componentes separadamente utilizando água e detergente ou só água porque a minha mãe sempre me disse que não se deve lavar com detergente porque altera o sabor do café!

Mas no que toca à da Nespresso, é bastante mais difícil, uma vez que ela não é desmontável, ou pelo menos, não de maneira fácil.

Pior que isso, é o facto de que estas máquinas ganham calcário entre outras "porcarias" no seu interior, sobretudo na tubagem, o que faz com que uma máquina que tinha um considerável jacto, passa a despejar um fiozinho de café, o que faz com que cada café demore 5 minutos a tirar.

Comprar produtos específicos ou levá-las à loja é um pouco dispendioso, ainda por cima para fazer um trabalho que o nosso velho amigo vinagre de sidra faz tão bem.

Assim sendo (e eu já testei, por isso, estão à vontade), fica aqui a receita para limpar este tipo de máquinas.

  1. Colocar no depósito de água vinagre de sidra até meio e encher o resto com água;
  2. Colocar a correr;
  3. Quando o vinagre e a água terminarem, colocar apenas água e fazer correr novamente.
  4. Cheirem o depósito. Se ainda vos cheirar demasiado a vinagre, passem novamente por água, mas lembrem-se de que o cheiro a vinagre desaparece rapidamente e prometo que o primeiro café não irá saber a vinagre!

 

 

13
Jul17

Falemos Então de Detergentes

Goulart Pinheiro

Um dos maiores desafios ao sair de casa foi decidir que detergentes usar...!

Pode não parecer importante, mas estava habituada a ver a minha mãe a usar sempre os mesmos detergentes, mas eu queria utilizar detergentes que de alguma maneira fossem mais amigos do ambiente, e que não custassem o salário de um mês para os comprar.

Das mil e uma marcas de detergentes que existem, a maioria delas é efectivamente cara, e aquelas que não são caras ou não lavam bem, ou não têm bom cheiro ou os químicos que levam dava para montar um laboratório em casa.

 

 

 

Por isso, a primeira coisa que decidi fazer foi aprender a fazer detergente em casa. E para espanto meu, não encontrei nada na Internet que me parecesse extravagante. Na verdade, a maioria das pessoas utiliza vinagre com água e um pouco de bicarbonato de sódio. Tudo muito barato. No entanto, parecia sempre que dois dias depois a casa já estava suja, já para não falar de que o meu companheiro se queixava do cheiro.

Por isso, o vinagre passou a ser usado apenas para limpar os móveis, os espelhos e as janelas cá de casa. E é muito simples, utilizamos uma porporção de 1/3 de vinagre para 2/3 de água e depois adicionamos duas colheres de chá de bicarbonato. Deixamos que a reacção química ocorra e utilizamos.

 

Para o chão acabámos por encontrar detergente a granel na miosótis. Basta comprar a embalagem da primeira vez e a partir daí pagamos à volta de 5€ por 1,5l de detergente, basta levarmos a embalagem sempre connosco.

 

Para a roupa descobrimos o mesmo sistema. Embora de vez em quando utilizemos detergente em pó, porque vem embalado em cartão e como tal, é 100% reciclável, outras vezes acabamos por optar pelo detergente líquido a granel na miosótis. Honestamente já não o compramos há algum tempo, pelo que não me lembro exactamente do preço por kg.

 

Finalmente para a loiça não conseguimos encontrar outra solução sem ser o Fairy. Infelizmente, é o único detergente que sentimos que desengordura realmente a loiça mesmo quando nos esquecemos de mudar a bilha do gás e temos que lavar com água fria. Por isso, para pouparmos o máximo possível de plástico, compramos a maior embalagem que encontrarmos no supermercado.

 

Mas podem sempre encontrar outras soluções que considerem mais apropriadas para vocês:

Outras opções que encontrem, é favor partilhar!

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Sobre Isto

O minimalismo apresentou-se a mim não como uma moda a adoptar no momento, mas como um estilo de vida a adoptar sempre. Como Ecologista convicta, sou totalmente contra o estilo de vida de consumo desenfreado que vivemos nos dias de hoje em que interessa ter muito. Acredito que "o caminho se faz caminhando" e por isso não coloco quaisquer expectativas sobre o que o futuro trará, ao invés, acredito nas mudanças presentes e que devemos viver agora o que deve ser vivido agora. Ter muitas coisas ocupa muito espaço físico e mental, muita preocupação. Minimalizar tornou-se uma prática de relaxamento e em que ter pouco é ter muito mais.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D