Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Minimalismo Num Pedestal

Não é preciso ter muito, desde que se tenha as coisas certas.

Minimalismo Num Pedestal

Não é preciso ter muito, desde que se tenha as coisas certas.

17
Abr16

Pílula #MyStory

Goulart Pinheiro

A pedido de muitas famílias, e porque eu gosto de temas controversos, aqui está um aguardado post sobre a questão da pílula.

 

Eu comecei a tomar a pílula com 15 anos, se não me engano. Foi-me prescrita na primeira vez que fui ao ginecologista. Na altura tinha algumas borbulhinhas e namorado e então ele achou por bem prescrever-ma. Comecei a tomar a Yaz, da Bayer.

 

Mas, a pílula era horrível e dava-me enxaquecas gigantes, daquelas em que mal se consegue abrir os olhos, e toda a comida me deixava mal-disposta. Inacreditavelmente, a única coisa que conseguia comer eram Oreos. Por isso, ligámos para o ginecologista e ele alterou-me a pílula para a valette.

 

 

Esta já não me provocou grandes efeitos secundários, sem ser engordar uns quilinhos e continuar a ter borbulhas. Mas como uma pessoa confia nos médicos, continuei a tomá-la.

Tomei-a durante bastante tempo até a minha relação seguinte terminar (tinha eu 18 anos). Por essa altura, não via o propósito de continuar a tomar a pílula e parei de o fazer.

 

Foi nessa altura que começou a aumentar a minha quantidade de acne (post aqui), e eu decidi voltar a tomá-la, por ter achado que tal se devia a ter deixado de a tomar. No entanto, quando retomei, o acne continuava. Então, decidi falar com o ginecologista e pedir alguma pílula que tivesse um melhor efeito sobre o acne. Ele prescreveu-me a diane 35.

No entanto, o problema não melhorou, na verdade até se agravou. Se até esta altura eu tinha borbulhas daquelas superficiais, com cabeça branca, com esta pílula passei a ter borbulhas vermelhas, extremamente dolorosas e que me davam comichão. Ainda por cima, estavam concentradas numa mesma zona e deixaram-me marcas que irão ficar para sempre.

 

Decidi então, também parar de tomar esta pílula, até porque não tinha nenhuma relação na altura e não via o propósito de continuar a tomar. No entanto, a minha menstruação passou a ser bastante mais dolorosa.

 

Um dia, em conversa com uma amiga sobre isto, ela disse-me para ir a uma consulta de planeamento familiar e expôr a situação (até porque o meu acne continuava) e eu não teria que pagar pela pílula, uma vez que o SNS a distribuía gratuitamente.

 

Lá fui eu, expliquei toda a situação e prescreveram-me a Minigeste.

 

Sim, já dá para perceber que a Bayer detém o monopólio das pílulas mais prescritas em Portugal.

 

Enfim, comecei a tomá-la, mas, de novo, não estava a ajudar em nada com o problema do acne e eu não tinha a necessidade de a tomar pelo princípio para que foi criada: contracepção.

 

No entanto, como entretanto fui à dermatologista que me prescreveu a isotretínoina, tive que continuar a tomá-la, uma vez que temos obrigatoriamente que estar a utilizar um método de contracepção hormonal, dados os efeitos secundários da isotretínoina em fetos.

 

Mas assim que parei a isotretínoina, decidi também parar a pílula. É verdade que aumentou a quantidade de borbulhas e, se calhar até a oleosidade. Mas dada a quantidade de efeitos secundários que já encontrei e dada a quantidade de testemunhos que já encontrei sobre a pílula, prefiro continuar a resolver o problema de formas mais naturais. Até porque acredito que assim que o meu sistema reencontrar o equilíbrio sem hormonas falsas, o problema se resolverá (refiro-me ao acne).

 

Não irei entrar em grandes detalhes sobre as coisas que encontrei. No entanto, deixo aqui os links para o caso de terem interesse em consultar algumas das coisas.

 

https://my.clevelandclinic.org/health/treatments_and_procedures/hic_Dental_Check-up/hic_Hormones_and_Oral_Health

 

http://www.healthywomen.org/condition/oral-health

 

http://www.webmd.com/sex/birth-control/birth-control-pills?page=4#2

 

http://www.everydayhealth.com/news/6-strange-side-effects-birth-control-pill/

 

http://goingoffthepill.org/hormonal-birth-control-risks-side-effects/

 

Há ainda imensas youtubers que dão os seus testemunhos:

 

https://www.youtube.com/watch?v=T1tyr_Lx0Fc

https://www.youtube.com/watch?v=iDq1tjsXwYY

 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Sobre Isto

O minimalismo apresentou-se a mim não como uma moda a adoptar no momento, mas como um estilo de vida a adoptar sempre. Como Ecologista convicta, sou totalmente contra o estilo de vida de consumo desenfreado que vivemos nos dias de hoje em que interessa ter muito. Acredito que "o caminho se faz caminhando" e por isso não coloco quaisquer expectativas sobre o que o futuro trará, ao invés, acredito nas mudanças presentes e que devemos viver agora o que deve ser vivido agora. Ter muitas coisas ocupa muito espaço físico e mental, muita preocupação. Minimalizar tornou-se uma prática de relaxamento e em que ter pouco é ter muito mais.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D