Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Minimalismo Num Pedestal

Não é preciso ter muito, desde que se tenha as coisas certas.

Minimalismo Num Pedestal

Não é preciso ter muito, desde que se tenha as coisas certas.

11
Dez15

Para o caso de...

Goulart Pinheiro

Quando comecei a entrar na onda minimalista, o meu primeiro passo foi livrar-me das coisas que não gostava, não precisava e não me faziam falta.

 

Acredito, no entanto, que um dos maiores problemas que enfrentei, e pelo qual toda a gente deve enfrentar, é "e se eu vier a precisar disto?". É uma pergunta válida, se pensarmos no assunto. No entanto, vamos enfrentar a realidade. Quantas vezes no passado realmente precisaram do objecto em questão? Eu acho que é um pouco como aquelas mulheres que levam tudo na mala (e atenção que eu já fui assim...) "para o caso de...". A verdade é que esse caso nunca apareceu e eu estava a dar cabo das minhas costas com o peso.

 

Quando falamos em livrarmo-nos de coisas materialistas e que não oferecem qualquer uso ou alegria à nossa vida o "para o caso de..." não pode ser uma desculpa para acumular tralha.

 

Por isso, toca a chegar a casa, e começar a ver o que realmente precisam e o que não precisam. As pilhas dividem-se simplesmente entre: sim, não e talvez. A pilha do talvez pode ficar guardada durante um tempo, enquanto não descobrem o que fazer com ela. Vão visitando essa pilha de vez em quando e transformando-a em "sim" ou "não"; embora eu garanta que quase sempre na dúvida a resposta é "não", se não porque raio teriam duvidado no início?

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Sobre Isto

O minimalismo apresentou-se a mim não como uma moda a adoptar no momento, mas como um estilo de vida a adoptar sempre. Como Ecologista convicta, sou totalmente contra o estilo de vida de consumo desenfreado que vivemos nos dias de hoje em que interessa ter muito. Acredito que "o caminho se faz caminhando" e por isso não coloco quaisquer expectativas sobre o que o futuro trará, ao invés, acredito nas mudanças presentes e que devemos viver agora o que deve ser vivido agora. Ter muitas coisas ocupa muito espaço físico e mental, muita preocupação. Minimalizar tornou-se uma prática de relaxamento e em que ter pouco é ter muito mais.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D