Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Minimalismo Num Pedestal

Não é preciso ter muito, desde que se tenha as coisas certas.

Minimalismo Num Pedestal

Não é preciso ter muito, desde que se tenha as coisas certas.

20
Nov15

Organizar #bijuteria

Goulart Pinheiro

Não sou rapariga de ter muita bijuteria, até porque não a utilizo (muito) e, assim, torna-se desnecessário tê-la.

O que mais utilizo são brincos e relógio. Brincos tenho cerca de uns 7 pares (5 "normais" e 2 formais) e relógios tenhos 2, sendo que a minha grande perdição são os relógios da casio, que embora já não estejam na moda (a moda agora é Calvin Klein), eu gosto demasiado do relógio para simplesmente "o trocar".

 

Ainda assim, gosto de ter as coisas que utilizo, à "mão de semear", porque se torna mais prático.

 

Para isso, tenho esta fantástica caixa que a minha tia fez a partir de uma caixa antiga de chás:

 

 

IMG_20151120_093039.jpg

 

Como é possível constatar, estão aqui guardadas as coisas que uso diariamente: brincos, anéis, travessões, elásticos, relógio...

Os colares estão pendurados nos pregos do espelho e, desta maneira, tenho as coisas à vista e torna-se mais fácil escolher o que usar.

 

IMG_20151120_093030.jpg

A razão pela qual não tenho muita bijuteria (fora o facto de não a utilizar) é o facto de não sinto a necessidade, não sou grande fã de "jóias" nem acessórios e gosto de manter as coisas simples. Claro que o minimalismo não implica não utilizar acessórios ou coisas acessórias. A verdade é que podemos ter tanta tralha quanto quisermos, desde que esta nos faça felizes ou traga importância à nossa vida.

 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Sobre Isto

O minimalismo apresentou-se a mim não como uma moda a adoptar no momento, mas como um estilo de vida a adoptar sempre. Como Ecologista convicta, sou totalmente contra o estilo de vida de consumo desenfreado que vivemos nos dias de hoje em que interessa ter muito. Acredito que "o caminho se faz caminhando" e por isso não coloco quaisquer expectativas sobre o que o futuro trará, ao invés, acredito nas mudanças presentes e que devemos viver agora o que deve ser vivido agora. Ter muitas coisas ocupa muito espaço físico e mental, muita preocupação. Minimalizar tornou-se uma prática de relaxamento e em que ter pouco é ter muito mais.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D