Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Minimalismo Num Pedestal

Não é preciso ter muito, desde que se tenha as coisas certas.

Minimalismo Num Pedestal

Não é preciso ter muito, desde que se tenha as coisas certas.

05
Nov15

O minimalismo e a pegada ecológica.

Goulart Pinheiro

Para aqueles que não sabem, eu sou a fã nº 1 do Ambiente. E não é fã de: sim, adoro árvores e baleias e etc. Não, sou convictamente ecologista e acredito que o futuro da Humanidade (e de todas as outras espécies no planeta) depende do entendimento daquilo que é a Ecologia, o equílibrio dos ecossistemas e quais as formas de nos salvaguardarmos de eventuais catástrofes que coloquem a vida na Terra, como a conhecemos, em risco.

 

Por isso, esta foi outra das razões pelas quais decidi aderir ao minimalismo. O consumo desenfreado faz aumentar, e muito, as linhas de produção, aumentado a exploração dos recursos naturais e pondo um enorme stress no meio ambiente. Fora tudo isto, o actual sistema de produção em larga escala aumenta substancialmente o desperdício.

 

No entanto, aquilo que me traz aqui hoje é mais a discussão do natural vs. sintético. Esta é uma discussão levada a cabo por diversos ecologistas, defensores do ambiente, cientistas e afins e que levanta muitas questões. A verdade é que utilizar fibras naturais à partida parece algo mais ecológico, mais natural. Pode não provocar tantas reações alérgicas ou similares. Para além disso, parece não custar tanto. No entanto, vou deixar-vos este quadro:

 

 

Se olharmos para este quadro conseguimos ver que o algodão consome em média 18 000 litros de água por cada quilo de roupa. São muitos litros de água... Também a viscose consome 640 litro de água por cada quilo de roupa. No entanto, são as fibras sintéticas que consomem mais energia, sendo que o poliéster consome 109 gigajoules, o que, para quem não entende de medidas de energia, num ano em usos domésticos uma pessoa gasta à volta de 4000 GJ (atenção, por ano). Ou seja, por cada quilo de roupa produzido é gasta energia equivalente a 10 dias em uso doméstico. Fora isto, há ainda que considerar a durabilidade das fibras, sendo que as fibras sintéticas, por serem menos biodegradáveis, prometem maior durabilidade.

 

Como é possível verificar, a discussão irá continuar, uma vez que hoje em dia, a energia ainda é altamente dependente dos combustíveis fósseis, que também são altamente desvantajosos para o ambiente.

 

No entanto, quanto feita a reflexão sobre o assunto há que considerar sempre que menos é melhor: não há tanta exploração de recursos naturais e não há tanto desperdício, o que causa menos stress nos ecossistemas. Vivermos apenas com aquilo que precisamos e com aquilo que nos faz felizes, sem consumirmos desenfreadamente coisas que não acrescentam nada à vida parece ser a solução, na minha opinião...

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Sobre Isto

O minimalismo apresentou-se a mim não como uma moda a adoptar no momento, mas como um estilo de vida a adoptar sempre. Como Ecologista convicta, sou totalmente contra o estilo de vida de consumo desenfreado que vivemos nos dias de hoje em que interessa ter muito. Acredito que "o caminho se faz caminhando" e por isso não coloco quaisquer expectativas sobre o que o futuro trará, ao invés, acredito nas mudanças presentes e que devemos viver agora o que deve ser vivido agora. Ter muitas coisas ocupa muito espaço físico e mental, muita preocupação. Minimalizar tornou-se uma prática de relaxamento e em que ter pouco é ter muito mais.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D