Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Minimalismo Num Pedestal

Não é preciso ter muito, desde que se tenha as coisas certas.

Minimalismo Num Pedestal

Não é preciso ter muito, desde que se tenha as coisas certas.

11
Fev19

O Fim da Capsule Wardrobe

Goulart Pinheiro

Eu inicei este blog com um post sobre "Capsule Wardrobe" com o texto intitulado Sobre a Cápsula.

 

No entanto, eu já não tenho uma cápsula de roupa. E a razão é muito simples: já não tenho necessidade.

Consegui reduzir o meu guarda-roupa às peças que considero essenciais e que necessito e já não faz para mim sentido seleccionar roupas todos os inícios de estação (que já praticamente não existem), porque iria seleccionar todas.

Neste momento o meu roupeiro de Inverno contém:

  • 2 Casacos: um impermeável, um não.
  • 3 Sapatos: uns botins, uns ténis e umas botas (pantufas - tipo UGG, mas baratas);
  • 1 blazer;
  • 4 calças: 2 ganga e 2 pretas;
  • 8/9 camisas e camisolas de manga comprida;
  • 2 camisolas de malha;
  • 4 camisolas de malha grossa;
  • 1 vestido;
  • 1 saia;
  • 1 casaco de malha grossa;
  • 2 casacos de malha fina.

TOTAL: 30 peças de roupa

Poderei estar a esquecer-me de qualquer coisa, mas de certeza que o meu roupeiro não tem mais de 40 peças neste momento, e não me fazem falta.

 

Não, não ando com roupa suja, mas o estado do tempo também tem ajudado a lavar roupa todos os fins-de-semana, fazendo com que seja mais fácil ter sempre roupa à disposição.

Mas também, como disse anteriormente, quanto menos roupa se tem, mais fácil é de a escolher todos os dias. Para além disso, visto maioritariamente roupa de cor neutra, o que faz com que tudo fique bem com tudo e não haja necessidade de ter que escolher com base no "fica bem ou não".

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Sobre Isto

O minimalismo apresentou-se a mim não como uma moda a adoptar no momento, mas como um estilo de vida a adoptar sempre. Como Ecologista convicta, sou totalmente contra o estilo de vida de consumo desenfreado que vivemos nos dias de hoje em que interessa ter muito. Acredito que "o caminho se faz caminhando" e por isso não coloco quaisquer expectativas sobre o que o futuro trará, ao invés, acredito nas mudanças presentes e que devemos viver agora o que deve ser vivido agora. Ter muitas coisas ocupa muito espaço físico e mental, muita preocupação. Minimalizar tornou-se uma prática de relaxamento e em que ter pouco é ter muito mais.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D