Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Minimalismo Num Pedestal

Não é preciso ter muito, desde que se tenha as coisas certas.

Minimalismo Num Pedestal

Não é preciso ter muito, desde que se tenha as coisas certas.

27
Nov17

Gelinho Verde?

Goulart Pinheiro

IMG_20171127_141248_920.jpg

 

 

 

Eu sei que me vão dizer que o gelinho não é particularmente ecológico, e é verdade! Mas se forem pessoas como eu, que gostam ao máximo de ter as unhas arranjadas e bonitas porque é uma forma que têm de se sentir mais femininas, mais arranjadas e até mesmo organizadas, gelinho é a opção mais ecológica.

Durante muito tempo usei vernizes normais, que se estragam muito facilmente, fora o dinheiro e os gastos em acetona, algodão e, claro, verniz porque todos os dias é preciso retocar. As minhas unhas nunca duraram mais de dois dias arranjadas, mesmo usando luvas para fazer tudo!

Até que descobri o gelinho! Milagre dos milagres: é menos agressivo para as unhas do que o gel, dura muito mais tempo e até pude deixar de usar luvas para lavar a loiça ou a casa de banho que ele não sai. Ao fim de um mês (o tempo que ele dura nas minhas mãos) é um simples produto que o retira e voltamos a ter as nossas unhas normais, e as minhas nunca ficaram amarelas como com os restantes vernizes "normais".

No entanto tive as minhas desilusões. A primeia vez que o fiz foi na conceituada marca Nails4US, paguei bem (mais de 20€) para umas unhas que me duraram 6 dias - nunca mais me esqueci. E fiquei chateada (claro) e decidi que não o faria mais, tendo em conta que não compensava.

ATÉ um dia a minha prima me ter aparecido à frente com gelinho com duas semanas e as unhas dela estavam impecáveis.

- Onde fizeste isso?

- Em Oeiras?

- Quanto pagaste?

- 10€

Como assim? Claro que eu não podia ir para Oeiras na altura porque faculdade e trabalho, ir a Oeiras não eram 10 minutos.

Mas decidi começar a investigar sítios mais próximos de mim para fazer as unhas a preços mais baratos. Na altura as unhas de gel eram o que estava mais na moda e não foi fácil encontrar sítios que fizessem gelinho. E sempre que os encontrava, saía desiludida. Mas como quem busca sempre encontra:

Um dia, a minha cabeleireira disse-me que tinha uma rapariga nova para as unhas que a filha dela dizia que era muito boa e eu não hesitei e decidi marcar e experimentar. Desilusão por desilusão: perdida por uma, perdida por mil.

Foi a melhor experiência que tive! Muita simpatia e profissionalismo, muito cuidado, mas sobretudo a sensação de que é uma amiga que nos está a arranjar as unhas. 

Acabei por me mudar para longe e, com isso, tentar arranjar outro sítio onde arranjar. Todos foram uma desilusão. 

Disse à minha mãe: mãe, tens que ir à Sofia, ela é a melhor.

E mesmo estando longe, nem que tenha que arranjar um dia de férias ou uma tarde, ou umas horas, é lá que vou, é lá que estou rendida. Nunca fico desiludida com nada. Já fiz depilações, unhas e até massagens! Mesmo quando as minhas unhas estão horríveis, a Sofia consegue dar a volta!

Por isso, aconselho a todos os que passarem na zona de Sacavém (concelho de Loures) a mandarem mensagem à Sofia: https://www.facebook.com/sofia.roque.581 e combinarem porque vale mesmo a pena!

E não é ultra verde, mas é ultra nice!

 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Sobre Isto

O minimalismo apresentou-se a mim não como uma moda a adoptar no momento, mas como um estilo de vida a adoptar sempre. Como Ecologista convicta, sou totalmente contra o estilo de vida de consumo desenfreado que vivemos nos dias de hoje em que interessa ter muito. Acredito que "o caminho se faz caminhando" e por isso não coloco quaisquer expectativas sobre o que o futuro trará, ao invés, acredito nas mudanças presentes e que devemos viver agora o que deve ser vivido agora. Ter muitas coisas ocupa muito espaço físico e mental, muita preocupação. Minimalizar tornou-se uma prática de relaxamento e em que ter pouco é ter muito mais.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D