Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Minimalismo Num Pedestal

Não é preciso ter muito, desde que se tenha as coisas certas.

Minimalismo Num Pedestal

Não é preciso ter muito, desde que se tenha as coisas certas.

08
Dez15

The True Cost

Goulart Pinheiro

O meu post de hoje não era suposto ser este, mas depois de ter visto este documentário ontem à noite, não pude deixar de fazer um post sobre ele enquanto a memória ainda está fresca.

 

 

Este documentário, mais do que qualquer coisa, é um verdadeiro espelho daquilo que a sociedade capitalista e de consumo é, e a forma como explora todo e qualquer ser humano pelo preço mais competitivo.

Embora já conhecesse toda esta realidade, em especial em termos sociais e ambientais, a verdade é que o filme retrata as questões de uma forma tão realista e humana que se torna impossível não ficar comovido.

 

O filme em mim provocou uma enorme vontade de deitar fora todos os meus bens materiais. Mas a verdade é que depois estaria a contribuir ainda mais para o amontoado de resíduos já existentes neste planeta.

 

Assim sendo, decidi continuar o meu caminho minimalista e de pouco consumo. Não irei deitar nada fora, nem devolver prendas de Natal. No entanto, daqui para a frente apenas irei consumir produtos que sejam feitos em países onde existam leis laborais, respeito pelos direitos humanos, pela segurança dos trabalhadores, países que ofereçam condições na maternidade, paternidade e salários mínimos dignos.

 

Aconselho a todos que vejam este filme e façam uma séria reflexão sobre a sociedade de cosumo em que vivemos e não se coloquem à margem na questão. Todos temos algo a dizer, e tal como aparece no filme: nós não somos obrigados a consumir; apenas o fazemos se quisermos.

07
Dez15

Como organizo a papelada

Goulart Pinheiro

Hoje decidi tirar 1h da minha manhã (esperando que seja suficiente), para organizar a minha papelada.

 

Embora não goste muito porque acho que não está organizado o suficiente (pondero comprar dossiers com separadores), utilizo para organizar as coisas, pastas, que passo em seguida a enunciar:

 

  • Saúde: Basicamente contém análises e exames antigos, bem como facturas referentes a serviços de saúde;
  • Cartões: Onde coloco toda a informação sobre cartões de lojas, combustível, etc.;
  • Documentação legal: É uma pasta que serve para todos os processos legais pelos quais eu possa passar. Neste momento, apenas contém o processo sobre o roubo do meu telemóvel;
  • Documentos: Tem toda a papelada referente aos meus documentos legais, como o CC, Carta de Condução, etc.;
  • Segurança Social: Como o nome indica, tem todas as coisas relacionadas com a segurança social;
  • Finanças: Para além dos documentos das finanças, contém também todas as declarações de rendimentos e documentos comprovativos desses mesmos rendimentos;
  • Conta BPI: Toda a informação sobre as minhas contas no BPI;
  • Conta CGD: Toda a informação sobre a minha conta na CGD;
  • Encomendas e Faturas: Todas as garantias e facturas, bem como registo de encomendas feitas online;
  • Comunicações: Documentação referente a contractos de telemóvel e internet;
  • Blitz: Faturas, licenças municipais, prescrições veterinárias do meu cão;
  • Trabalho: Contractos de trabalho, termos legais e etc.;
  • Diversos: Uma data de papelada que preciso de guardar, mas que não é específica;

Basicamente, são estas as pastas que mantenho guardadas. Já começam a ocupar algum espaço e não ficam muito bonitas, daí ponderar mudar tudo para dossiers.

 

 

 

05
Dez15

Mais e mais blogs

Goulart Pinheiro

O post de hoje é sobretudo sobre outros blogs. A verdade é que começar a escrever este blog não foi inspiração divina, mas deu-se pelo facto de eu seguir outros blogs e ter achado que então poderia, também eu, descrever a minha jornada minimalista (entre outras coisas). Assim sendo, aqui ficam alguns dos meus blogs/canais preferidos:

 

Esta é a Rachel Aust. Ela começou com um blog escrito e neste momento faz vídeos para o youtube e tem uma "série" chamada "Minimalist Series" e que tem excelentes ideias e inspiração para organização minimalista.

https://www.youtube.com/channel/UCvIaf-RCk5mQiH8rI0rODlg

 

Este canal do "My Green Closet" também tem imensas ideias de como criar um guarda-roupa sustentável e ecológico entre outros.

https://www.youtube.com/user/MyGreenCloset/featured

 

Este blog é da Anita Costa, que costumava ser uma atriz portuguesa (palavras da própria) e que para além de estar a estudar, tem também este blog. Não é minimalista, mas gosto imenso dele na mesma.

http://anitaandtheblog.com/

 

Depois existe também este com dicas de como minimizar e simplificar:

http://simplifyingathome.com/

 

Este:

http://minimalmillennial.com/

 

E claro, um dos mais populares blogs de minimalismo:

http://www.theminimalists.com/minimalism/

 

A maioria dos blogs são em inglês porque não só o minimalismo é, ainda, uma prática pouco corrente em Portugal, como também, há poucos que escrevem sobre o assunto.

 

 

04
Dez15

Avis e VALNOR

Goulart Pinheiro

Hoje trago mais uma das minhas saídas de campo. Desta vez a visita ao belo concelho de Avis e à empresa de gestão de resíduos, VALNOR.

 

IMG_20151203_085427.jpg

 

Para mim o interior do país, traz uma paz e uma serenidade que não se encontram na confusão da cidade, é um facto. O contacto directo com a Natureza, a pouca intervenção humana, fazem do interior do país, uma relíquia para o estado selvagem e a proximidade com a Natureza "virgem".

 

IMG_20151203_090830.jpg

 

Em relação à visita às instalações da VALNOR, sendo eu uma aprendiz de Engenharia do Ambiente e uma das minhas áreas de interesse ser a gestão de resíduos, é sempre interessante visitar estes locais, aprender qualquer coisa nova, questionar sobre dúvidas que surjam e ver como funcionam as coisas internamente.

 

VALNOR!.jpg

 

VALNOR2.jpg

 

VALNOR3.jpg

 O único senão é ter que acordar as 4h da manhã, para estar de volta às 16h da tarde!

02
Dez15

O fantástico mundo dos BB Cream

Goulart Pinheiro

Para mim a maquilhagem sempre foi um must-have. Foram vários os anos que passei frente ao youtube a ver vídeos sobre maquilhagem e a sonhar poder ter tanta quanto as raparigas que faziam os vídeos.

 

Cheguei a ter alguma, mas depressa descobri que mais de metade dela não a usava de todo, e acabava sempre por ir para o lixo. Com o minimalismo, a coisa tornou-se diferente. Uso maquilhagem, mas gosto de me manter no essencial, como aliás já disse num post anterior.

 

Os BBCream surgiram não há muito tempo, e automaticamente fizeram uma revolução no meu mundo. Porquê? Porque dão um ar muito mais natural e muito mais leve à minha pele do que as bases. Hoje trago uma revisão daqueles que já experimentei.

 

O primeiro que experimentei foi o BBCream da Garnier para peles oleosas.

 

Automaticamente me tornei fã. É tão fácil de espalhar e mesmo assim dá uma excelente cobertura. Só tem um senão que pode ser um grande senão para diversas pessoas, eu incluída, é que a cor mais clara à venda no mercado é o medium e é uma cor já bastante escura.

 

Depois deste experimentei o da Nivea porque estava em promoção.

 

Não gostei nada. Em primeiro lugar porque seja o mais claro ou o médio, nenhum deles parece ficar bem com a minha cor de pele, e não me apetece andar a fazer misturas, como acontecia com as bases. Por outro lado, parece uma argamassa pastosa, super dificil de espalhar. Por fim, se a colocar em dias de sol, chego a casa às manchas, porque parece que com o sol, as partículas se agregam a formam montículos na minha cara.

 

Neste momento estou a utilizar o da Maybelline.

 

No início estranhei um poucoo, e achei que era tipo o da Nivea, dificil de espalhar. Mas a verdade é que com o passar dos dias e tendo-me habituado, gosto bastante. Eu uso o mais claro e nesta fórmula azul para controlo da oleosidade. Gosto porque passado 30 minutos ele já está completamente misturado com o meu tom de pele, deixando um ar natural, que nada parece que estoua utilizar maquilhagem, ainda assim, sem deixar transparecer as vermelhidões ou as olheiras.

 

O próximo que pretendo experimentar é o da L'Oreal porque já ouvi falar muito bem dele. Mas sou o género de rapariga que é ver para crer. Aqui fica a imagem dele no entanto. Se já o utilizaram, por favor deixem-me um feedback nos comentários.

 

 

01
Dez15

Natal, Capitalismo, Natal

Goulart Pinheiro

O tema hoje é Natal. Entrados em Dezembro que estamos, tudo à nossa volta se transforma em Natal. Sim, esse feriado religioso num Estado Laico. Mas não se enganem, o Natal, nos dias que correm, é pouco um feriado religioso, e muito mais um feriado capitalista.

Até o pobre Pai Natal virou vermelho graças ao capitalismo: http://onatal1.no.sapo.pt/pdfs/Vermelho_branco.pdf

 

No entanto, não me considerem fundamentalista, eu gosto da oportunidade de outras pessoas gastarem dinheiro em coisas que preciso na altura do Natal. Tal como mencionei anteriormente, normalmente tenho uma lista e quando chega esta altura, digo ao pai e à mãe e aos tios o que preciso e eles compram e eu poupo algum dinheiro. Como minimalista, não sou fã das prendas "surpresa" porque muitas vezes são coisas que não preciso ou que não têm qualquer significado e acabam numa caixa em casa a estragar-se.

 

No entanto, este ano decidi fazer algo diferente e mais criativo com a prendas que vou oferecer. Embora a criatividade não seja exactamente o meu forte, tenho-me esforçado e todos os dias me debruço sobre uma das prendas que vou oferecer. Até agora tenho uma, e vou a caminho de outra... O que já não é mau!

 

Depois do Natal colocarei aqui a lista de prendas que ofereci!

Pág. 3/3

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Sobre Isto

O minimalismo apresentou-se a mim não como uma moda a adoptar no momento, mas como um estilo de vida a adoptar sempre. Como Ecologista convicta, sou totalmente contra o estilo de vida de consumo desenfreado que vivemos nos dias de hoje em que interessa ter muito. Acredito que "o caminho se faz caminhando" e por isso não coloco quaisquer expectativas sobre o que o futuro trará, ao invés, acredito nas mudanças presentes e que devemos viver agora o que deve ser vivido agora. Ter muitas coisas ocupa muito espaço físico e mental, muita preocupação. Minimalizar tornou-se uma prática de relaxamento e em que ter pouco é ter muito mais.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D